SOBRE MIM

Mónica, mulher e mãe.

Nasci em Cascais e vivo em Oeiras. Gosto de estar perto do mar, mas detesto andar de barco. 

Gosto de cozinhar e gosto de comer. Não gosto de atum e nunca me convide para um prato de frango à fricassé. Ficamos os melhores amigos se me enviar uma caixa de ovos moles.

Não sei andar de sapatos de salto alto.

Amo viajar, mas detesto desfazer malas.

Não consigo escrever e ouvir música ao mesmo tempo.

Sou apaixonada por gatos, mas… tenho uma cadela!

Gosto tanto de palavras que muita da minha roupa tem frases estampadas.


“As únicas coisas que valem a pena fazer-se são aquelas que te podem partir o coração”, Colum McCann

A primeira vez que ganhei dinheiro, tinha 14 ou 15 anos. Foi num trabalho de verão, no Centro Jean Monet, em Lisboa. Trabalhei um mês inteiro a pôr documentos por ordem cronológica. Na altura, já dizia que queria ser escritora e esta experiência deu-me a certeza de que nunca seria feliz numa atividade rotineira. 

Licenciei-me em Comunicação Social e durante quase duas décadas trabalhei como jornalista em várias revistas e jornais, tendo ainda passado pela televisão. Atualmente, estou divorciada do jornalismo. E ainda bem. 

Desde 2010, vivo uma relação tórrida com a formação. Primeiro em Escrita Criativa, depois em Storytelling, Biografias ou Produção de Conteúdos. Percebi que a minha missão é deixar, quem recorre aos meus serviços, completamente apaixonado pela escrita. No fundo, só quero que percam o medo da folha em branco e se divirtam.

Nesta vida nada rotineira, também já publiquei três livros – “Muito à Frente”, “Guia Prático do Emigrante” e “Miguel&Sinatra – Uma Amizade Especial” -, escrevi mais dois institucionais – “20 Anos SIC” e “Ver D’Ouro” -, e meia dúzia como ghost writer. 

Agora vivo entre salas de formação e qualquer canto onde possa pousar o meu computador e escrever. 

Sou a Mónica e gosto mesmo muito de palavras.

Mais sobre mim...

É verdade que há Menezes que se escreve com S, mas o meu é mesmo com Z. Fico completamente alterada quando se enganam!

Chamo-me Mónica porque a atriz preferida do meu pai era a italiana Mónica Vitti. Também tenho um segundo nome, como toda a gente nascida entre a década de 70 e 80, mas não vou revelar!

Sou formadora certificada (CCP F654273/2017) e com Certificação Internacional em Storytelling (McSill Studio)

O meu logótipo é uma nuvem porque vivo sempre um bocadinho com a cabeça no ar.

Tenho uma empresa de bolachas. Pode espreitar tudo aqui.

Pin It on Pinterest

Shares
Share This