As Lições de Escrita de “A Casa de Papel”

Terminei de ver a 4.ª temporada desta série espanhola que passa na Netflix. Calma, não vou revelar nada! Vou apenas dizer que ri, chorei e aprendi muito.

 

Aprendi que:

 

1 – Quando escrevemos temos de conseguir provocar emoções ao leitor. Temos de conseguir deixá-lo de coração apertado, de coração solto de tanto rir e temos de conseguir acalmá-lo depois de emoções fortes. Percebi isto nos cerca de 50 minutos do 1.º episódio. É uma montanha-russa de palavras conseguir fazer isto. Mas, bem feito, é igual àquele grito que damos quando surge a descida mais assustadora de todas.

 

2 – A construção das personagens. Não basta pôr a personagem na história. É preciso conhecê-la. Qual a sua história? O seu passado? Os seus traumas? Isto está tão bem feito em todos os episódios.

 

3 – O ponto de vista. Quando escrevemos, temos a possibilidade de guiar e condicionar o leitor para o nosso ponto de vista. Como podemos amar os ladrões e querer que a polícia perca sempre esta guerra? Podemos porque, Álex Pina, o criador desta série, encheu os “maus” de alma, de sentimentos que nos tocam. Criou histórias de amor, de perda, de sofrimento, de conquista. E nós passámos todos a ter um fato de macaco vermelho vestido e uma máscara de Dalí no rosto.

Foto retirada de netflix

Comentários

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *